quarta-feira, 9 de julho de 2008

Empregos?




Deixo aqui um excerto das declarações do ex.-presidente da CM da Azambuja que veio a Paço dos Negros fazer ver ás pessoas que as prisões lá no seu concelho empregam muita gente. Para além de a prisão não ir resolver os problemas de emprego, por aqui se vê quem vai ocupar os poucos que possam surgir...

9 comentários:

Anónimo disse...

O Homem fala mesmo bem.

sem palavras disse...

Quem fala verdade não...

Anónimo disse...

É isso, quem fala a verdade não merece castigo....vê-se bem quem é essa muita gente.....

Anónimo disse...

pela defesa da ribeira de muge!?ou sera pelo cargo de presidente e essas coisas mais que a la na camara?

Anónimo disse...

EnA Pá logo dois empregos:
Para o vice presidente da camara e outro para o presidente da Junta
Parabens
Logo dois empregos

Anónimo disse...

Esse protocolo prevê que os reclusos em regime aberto fiquem a trabalhar na freguesia, nomeadamente na conservação e limpeza da mata da herdade, mas também de caminhos e outras infra-estruturas da freguesia, adiantou.
http://diario.iol.pt/sociedade/lisboa-estabelecimento-prisional-freguesia-fazendas-de--almeirim-instalacoes/962987-4071.html

Rita Bento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Bento disse...

Pronto, como já começo a ficar fartinha com tanta ignorância e mesquinhez, e como o anonimato é a arma dos cobardes não me permitindo dirigir directamente e pessoalmente a quem de direito, apetece-me comentar.

Eu compreendo que deve ser difícil para o anónimo das 14 (10 julho) compreender o que os Gagos significam para nós. Ele/Ela próprio(a) não deve ter qualquer raiz neste Mundo, família ou qualquer outro valor pelo qual lutar sem esperar compensação em troca para além da felicidade de ver a sua casa deixar de ser atacada. Como também não deve compreender o que é não ter que depender de terceiros para validar as nossas competências profissionais, porque certamente não tem quaisquer competência ou atributo que lhe permita isso. Assim, necessita apontar o dedo a outros (ficando com 3 virados para si próprio/a) na esperança que a atenção não se vire para a sua incompetência.

Se queriam ter famílias como as nossas, fizessem mais filhos e cuidassem melhor deles, cuidassem dos vossos pais e dos vossos tios, mantivessem o contacto com os vossos primos e parentes, desenvolvessem laços inquebráveis independentemente de defeitos individuais. É que se somos muitos na zona da Ribeira de Muge é porque é a nossa casa já muito antes de muitos de vocês aqui meterem os pés! E por amarmos tanto esta nossa casa não a abandonámos nem a abandonamos! Fiquem cientes que pretendemos defendê-la e lutar por ela! Isso é algo que também compreendo que não compreenda, Sr/Sra anónimo/a das 14h 10 julho!

Pois fique a saber ainda que se alguém da família Bento ou Evangelista quisesse prestar um serviço público autárquico nesta região está no seu direito como qualquer outro cidadão neste país e muitos deles teriam com certeza muito mais competências do que os que neste momento "prestam" serviço público (que obviamente não prestam). E mais, nenhum Recurso Humano competente de entre a família Bento ou Evangelista tem algum problema em defender o que acredita porque sabe muito bem que não precisa nem depende de nenhum partido ou lugar político. E muito ficava Almeirim a ganhar se algum desses Recursos Humanos competentes de entre estas famílias quisesse perder algum do seu tempo a prestar serviço público autárquico a esta localidade! Muito gostam as pessoas de nivelar por baixo!

Mas, felizmente, a nossa casa é outra e é por ela que lutamos!

Quem tem cargos na câmara e falta de competências para os desempenhar é que se devia preocupar (como, claramente, se nota que já se preocupa). Alguns outros nomes de família me vêm à mente mas não são certamente Bento ou Evangelista!

Agora deixe-se de tretas e vá trabalhar ou tirar um curso! Get a life!

Anónimo disse...

Isto e para vermos a quem são dedicados os empregos. Podem ser muito bons, e pode-se ganhar muito bem, mas são para os individuos que conseguem, por meio de cunhas, meter-se lá dentro, isto para não referir que não sao muitos. O comum cidadão de Paço dos Negros ou Marianos jamais terá acesso a um lugar daqueles!